Home » » TRANSA NO ESTÁBULO COM A ADMINISTRADORA

TRANSA NO ESTÁBULO COM A ADMINISTRADORA



AUTOR - DINHO

Terça-feira, véspera de feriado, sou designado para fazer vistoria em uma lavoura do qual a empresa que eu trabalho esta negociando. Quando vejo qual a área ja me da um arrepio na espinha, pois pelas informações preliminares, a administradora propriedade, dona Samanta, que estará acompanhando a vistoria, tem fama de arrogante e prepotente.



Por volta de 11hs, pego o veículo da empresa e vou em direção à fazenda. Percorro alguns quilómetros e entro em uma estrada de chão... à medida que vou avançado, a paisagem vai mudando, com muitas árvores  algumas serras e um rio cortando ao fundo. Avisto de longe a propriedade e me dirijo a entrada da mesma, cortada por grandes pés de eucaliptos, indo ate a casa da sede, onde já vejo uma mulher parada na porta .

Desço do carro e observo aquela mulher, uma morena relativamente alta, com os cabelos pretos presos, uma calça jeans colada ao corpo, delineando umas coxas grossas e mostrando uma bunda empinada e redonda e uma camisa de botão branca , deixando o inícios de seus peitos a mostra, com óculos vermelho e botas pretas de tamanho relativamente grandes, a vista.

Samanta:
-Bom dia, você é o Paulo?

Paulo:
- Sim, você e a Samanta?
Ela cumprimenta secamente

Samanta:
- Bom, Paulo, gostaria de adiantar o serviço e já fiz o relatório que vai precisar.

Paulo:
-Samanta, antes de ler o seu relatório gostaria de conhecer a fazenda, pode me mostrar a propriedade?

Ela me olhou e deu um meio sorriso, dizendo:
 -É lógico1

Ela entrou no carro e indica o caminho a ser seguido para iniciarmos o trabalho. O seu perfume é gostoso... procuro puxar conversa, olhando disfarçadamente para as suas pernas, mas suas respostas são monossilábicas, sem dar brechas para continuarmos o assunto. Elogio os cuidados na fazenda, à medida que vamos andando, pois tem muito a fazer ainda.

Paulo:
- Samanta, sei que é uma pessoa ocupada, se me permite te chamar assim, mas hoje você vai ter que ter um pouco de calma, pois ficará à minha disposição durante essa vistoria. Ela ficou sem reação.

Chegamos na parte mais distante da fazenda, descemos do carro e vejo aquela bunda desfilar na minha frente, estou tão perdido em meus pensamento que começo a ficar excitado,. Quando ela se vira bruscamente olha pra mim e o prendedor do cabelo dela se solta , eu pego e falo que ela ficava mais bonita de cabelo solto ( na minha cabeça pensei: ela vai me matar ) mas para minha surpresa ela disse obrigado deixando os cabelos soltos.

Andamos mais um pouco e ela me pega com os olhos colados na sua bunda e alisando meu cacete sob a calça. Me olha com olha desaprovador, fecha a cara e amarra o cabelo e resmunga:
-Todos iguais .disse ela ..

Finalizamos o trabalho naquela parte e quando entramos no carro ela não fala nada. Peço desculpas pela minha atitude e ela diz que homens são todos iguais, nenhum valem nada e que só pensam em sexo e que ela já estava acostumada com aquilo, voltando a ficar com a cara amarrada. Definitivamente, aquela mulher estava mexendo comigo, não sei se pelo seu cheiro, pelo seu jeito duro, mas tinha que ter aquela mulher. Páro o carro e ela com ar interrogatório me pergunta porque paramos, reforço o pedido de desculpas e convido ela pra jantar comigo na vila próxima a fazenda. Com ar de raiva, disse que tudo bem, pedindo em seguida que a deixasse na casa principal da fazenda, onde me cederia o quarto em que eu iria ficar hospedado. Chegamos,ela me entregou e fui tomar um banho e só pensava naquela mulher, ela mexia comigo, fiquei super excitado debaixo daquela água quente que caía no meu corpo, saí e vesti uma calça jeans, blusa pólo amarela e sapato e fui para o único restaurante existente na vila, encontrar com ela. Lugar pequeno e aconchegante, sentei-me na mesa separada do lado de fora e fiquei curtindo aquela noite quente linda, com ar da roça. Fiquei pensando e quando virei e olhei, ela vinha em minha direção... linda , com vestido bege até os joelhos, deixando as curvas do seu corpo mais amostra, linda, de cabelos soltos, eu me levantei e fiquei parado olhando pra ela, ela chegou com cara séria e disse:
 -Uai preferiu sentar aqui fora?

Eu disse:
-Sim, Samanta, lá dentro esta muito quente. Tem algum problema?

Samanta:
-Lógico que não... você bebe?

O rapaz do restaurante chegou e perguntou a ela se era o de sempre, ela disse sim... pouco depois ele chega com uma garrafa de cerveja hiper gelada e dois copos. Fiquei surpreso.



Comecei a rir ... bebemos a noite toda conversamos muito ela disse que não era uma pessoa má como as pessoas diziam, era apenas na dela e devido ao trabalho, por ser mulher, tinha que pegar mais pesado, porém as pessoas não sabiam aceitar seu jeito. Eu sorri e disse:
-Você é linda, Samanta!

Ela ficou olhando e disse:
-Nossa, já é tarde... já são 23:45 horas e temos que levantar cedo amanha, Paulo,  pois temos muito pra ver ainda. Respondi a ela que estava à sua disposição e sorriu, levantamos e fomos andando pois a vila não ficava longe da sede da fazenda. Fomos aproveitando, pois a noite estava linda. Samanta sorria muito.


Eu já não pensava mais com a razão, segurei seus cabelos e tentei beijar a sua boca.

Ela resiste, tenta me empurrar, e grita dizendo que ta pra nascer homem que a forçará a alguma coisa. Definitivamente, quero essa mulher... ainda segurando suas mãos, tento novo beijo, que não consigo. Passo a mão pela sua cintura e falo:
-Samanta, vc esta me deixando louco, me desculpe.
 Fico olhando pra ela que sinto que não esta tão resistente e começo a atacar novamente , beijo seu pescoço e percebo o bico dos seus peitos darem sinal de vida e ficarem intumescidos, continuei beijando e lambendo seu pescoço e ela começa a resistir menos, gemendo bem baixinho. Depois se solta e sai correndo, entrando perto do estábulo e eu a alcanço. Ela parecia uma onça, falando.
-Você está confundindo as coisas, a bebida subiu pra sua cabeça.
Eu volto a segurar pela cintura e puxando os cabelo dela...  ela olha com olhar de quem queria e desço a mão pelo seu pescoço, cheirando e vi a ponta do seu sutiã claro, com alguns detalhes. Passo a mãos em seus peitos e aperto com força, arrancando o gemido daquela mulher . Puxo um de seus peitos pra fora do sutiã e chupo com gosto aquele peito gostoso, sinto todas as suas resistências indo embora.

E ela começou a passar a mão pelo meu pescoço e eu começo a descer abrindo suas pernas, utilizando um pouco de força pois ainda ela estava se segurando e tentando evitar, e sinto a protuberância de uma buceta estufada, lisa ..não resisto e passo a mão nela, em movimentos lentos e fortes... aquela fêmea geme gostoso.. seguro ela pelos cabelos e levo pra dentro do estábulo e de um jeito meio selvagem, arranco seu vestido deixando ela somente de calcinha deitada em cima daquelas palhas, não acreditava naquela cena.

Ela ainda me olha com olhar desafiador, de quem acha que não serei capaz de fazer o que ela imagina. Começo a passar a língua pelo corpo dela todo, com aquele cheio que estava me deixando louco e tirei meu pau pra fora da calça. Ponho ela de joelhos na minha frente... ela resiste em chupar meu pau... bato com ele na sua cara, uma, duas, tres vezes...

vejo o brilho de tesão nos seus olhos...esfrego ele na sua boca que lentamente se abre e começa a agasalhar aquela toda dura dentro da boca. Ela vai lambendo aos poucos, mas de repente, com uma fome inigualável, engole meu pau e vai chupando ele todo, deixando ele todo babado... que boca deliciosa... ainda segurando pelos seus cabelos começo a fuder sua boca... não resisto e começo a gozar dentro dela em jatos, fazendo com que ela engasgue e tente tirar meu pau.. não deixo isso acontecer e continuo segurando-a pelos cabelos, ate terminar de gozar e mando que ela engula tudo... coisa que não consegue, pois uma parte de minha porra escorre pelos seu queixo, pelos seus peitos...ela passa a mao nos peitos sujo de porra e passa na boca.

Sem perder o momento, levanto ela e a coloco de quatro sob o monte e palha... a bunda era como imaginei, realçada por uma tanguinha fio dental, da mesma cor e modelo do sutiã. Puxo sua calcinha de lado e vejo uma buceta  lisinha, já denunciando seu tesão, pois o fundo da calcinha estava úmido.



Não perco tempo, meto a boca naquela delícia... chupo gostoso... a mulher se transforma...começa a falar.
-Seu safado, conseguiu o que queria desde da primeira vez que me viu, né? Seu puto safado.. ai me fode toda...
Começa a gemer alto... passeio com minha língua dentro de sua buceta e com os dedos, abro ela, brincando com seu grelinho... ela puxa os meus cabelos com duas maos , e eu com a outra mão aperto seus peitos e sinto ela tremer e gozar pela primeira vez.. como puta deliciosa..dizendo para eu não parar... delicia... continuo chupando... agora passo a língua perto de seu cu e ela fica toda arrepiada... volto a brincar com sua buceta e coloco um dedo dentro do seu cu... a mulher pira... começa a rebolar e segura minha cabeça entre suas pernas, até gozar de novo. Ela deixa o corpo cair no feno...

Meu pau nesse momento já dava sinais de vida de novo... puxo seu corpo um pouco mais para perto do meu e começo a passar a cabeça dele na entrada de sua buceta... ela levanta um pouco seu rosto e olhando pra mim, com uma voz meio rouca, me pede pra fuder sua buceta sem dó, pra arrombar gostoso... fico torturando aquela mulher, antes seca e agora pedindo pica e empurro meu pau dentro de sua buceta de uma vez... indo ate o fundo... ela dá um grito... deixo ele parado um pouco e começo a me movimentar lentamente... como estou de pé entre suas pernas, tenho uma visão perfeita de meu cacete entrando em sua buceta...

 vou mexendo sempre... tirando e colocando tudo... pego em sua mão e coloco na sua buceta, pra ela se tocar... ela vai se tocando, com os olhos semi fechados e a medida que aumento o ritmo ela vai se tocando e goza novamente...Não dou trégua pra ela e continuo metendo em sua buceta....Viro seu corpo sobre o feno e tenho a visão linda daquela bunda... Arrebito sua bunda e dou linguadas no seu cú, deixando ele molhadinho... coloco um dedo e ela geme... deixo meu dedo dentro e coloco meu pau na sua buceta de novo... ela de quatro geme e rebola gostoso....seguro pela suas ancas e meto fundo, sem dó, ela urra de prazer...resolvo das tapas na sua bunda...desperto de vez a puta adormecida dentro dela...ela começa da gemer..a urrar e começar a pedir:
- Mete, amor...mete na sua puta....acaba com minha buceta... arromba ela.... quero seu pau... quero sua vara......

Aproveito seu estado de êxtase e coloco agora dois dedos no seu cu...ela pede para eu meter meu pau no seu cú...que ela é minha puta... E que a puta quer rola no cú...



Tiro meu pau melado de sua boceta e esfrego na portinha do seu cú....ela implora pra eu meter logo....seguro firme meu pau na entrada de seu cú e ela faz um movimento pra traz, tragando metade do meu caralho no seu rabo....

Começo a pôr e a tirar e quando percebo estou todo dentro do seu cú....dou continuidade aos movimentos e sinto ela gosar sucessivamente...não sei mais quanto tempo vou aguentar aquele cu delicioso....sinto ele piscar no meu pau....aviso que vou gozar...

Ele pede pra eu gozar na cara dela.....tiro meu pau, viro ela de frente e gozo muito..gozo gostoso...seu rosto fica todo lambuzado...ela pega meu pau e mete ele na boca....fazendo uma limpeza geral....esparrama todo a porra no seu corpo e diz que sempre vai querer mais e que a noite esta somente começando....

 
Support : Copyright © 2015. listo calisto - All Rights Reserved